Além do lado bizarro da Rússia que a internet ama, tem o extremo oposto da opulência e ostentação arquitetônica do que um dia foi um grande império.

O fotógrado canadense e arquiteto David Burdeny acredita ter sido o primeiro artista a ser autorizado para registrar as estações depois de serem fechadas para os passageiros.

O metrô de Moscou foi aberto em 1935 e projetado para ser um grande peso para a propaganda soviética. Os projetos arquitetônicos opulentos tinham a intenção de prever um futuro brilhante para o Império, onde os princípios de orientação era o “Svet”(luz) e o “svelto budushchego” (futuro brilhante).

Muitas das estações apresentam bustos de líderes soviéticos como Lenin, ou murais com elementos da propaganda soviética padrão, como o Homo Sovieticus

 

moscow-metro-station-architecture-russia-bright-future-david-burdeny-2 moscow-metro-station-architecture-russia-bright-future-david-burdeny-3 moscow-metro-station-architecture-russia-bright-future-david-burdeny-4 moscow-metro-station-architecture-russia-bright-future-david-burdeny-5 moscow-metro-station-architecture-russia-bright-future-david-burdeny-6 moscow-metro-station-architecture-russia-bright-future-david-burdeny-7 moscow-metro-station-architecture-russia-bright-future-david-burdeny-8 moscow-metro-station-architecture-russia-bright-future-david-burdeny-10 moscow-metro-station-architecture-russia-bright-future-david-burdeny-14